• VEGAPRIME

Relatos: Viagem Disney 2013 - Dia 1: A chegada

Atualizado: 29 de Jun de 2019


Inaugurando a seção de viagens do site, segue relato da nossa primeira e divertidíssima viagem para a Disney em família.


Gostaria de esclarecer que sempre tive um certo preconceito com a Disney. Achava que era coisa de criança e não tinha o menor interesse em conhecer os parques da empresa, até que um dia, me deparei com um documentário bem interessante sobre as atrações, a engenharia envolvida e o padrão de qualidade de atendimento Disney.


Com o aniversário do meu filho chegando, era a oportunidade perfeita para conhecermos os parques de Orlando e resolvemos ir com uma excursão, apenas para termos uma maior segurança em caso de qualquer contratempo, pois não ficaríamos com o grupo.


Com o visto na mão e passagens compradas, estávamos prontos para uma jornada repleta de surpresas. Uma surpreendente "aventura" estava apenas começando:


Desembarcamos em Miami na manhã do dia 25 de janeiro (véspera do aniversário do meu filho) e nos dirigimos à imigração americana, onde encontramos uma fila com mais de 400 pessoas. Com um vôo de conexão marcado para aproximadamente uma hora após nosso desembarque, era clara a possibilidade de perdemos o avião que nos levaria a Orlando.

Contudo, face a contratempos sofridos por várias das pessoas que estavam à nossa frente, no guichê para o qual fomos encaminhados, nossa passagem pela imigração foi rápida. Nos dirigimos à esteira de bagagem, para retirar nossas malas e despachá-las, quando formos abordados pela funcionária responsável pelo setor, que, desesperada, nos avisou que o avião não iria nos esperar. Entregamos as malas rapidamente e nos dirigimos ao terminal de embarque, porém, não havia sinal dos guias ou do grupo da excursão.

Embarcamos no avião, praticamente vazio. Preocupada quanto à possibilidade de estarmos no avião errado, minha esposa foi conversar com a aeromoça, dizendo que não estava vendo ninguém do grupo. Educadísima, a americana respondeu: "Eu também não". Caímos na risada.

Com o avião praticamente só para nós, partimos rumo a Orlando, num vôo de aproximamente 40 minutos. Já estava planejando pegar um táxi no aeroporto de Orlando rumo ao hotel (não ia esperar o grupo inteiro chegar, pois já tínhamos compromisso às 11:00, na Alamo, onde reservamos um carro).

Chegando no aeroporto, pegamos o monorail que nos levaria à esteira de bagagens. Chegando lá, nos deparamos com um senhor segurando uma placa com meu nome. A operadora de turismo, dando um show de organização, já sabia que apenas minha família havia embarcado no vôo correto e enviou uma van de cortesia, para nos levar ao Disney All Star Movies, hotel em que estávamos hospedados.


Fomos recebidos pelo Supervisor de Operações da Agaxtur, Cadu, que havia providenciado toda essa logísitica para nos receber, oportunidade na qual recebemos nossas mugs (caneca com refill ilimitado de refrigerantes, leite, café, chocolate quente e água, na Food Court do Hotel) e nossas Keys to the World (m as Magic Bands ainda não existiam), que funcionavam como chave do quarto, bem como garantiam nosso acesso, de carro, aos hotéis, parques, parques aquáticos e respectivos estacionamentos (cortesia para hóspedes).


Como não seria possível realizar o primeiro tour de compras somente conosco, pedi ao Cadu a gentileza de nos levar até a locadora, o que foi prontamente atendido.

Meus planos iniciais eram locar um Chevrolet Traverse, mas minha esposa (que não ia pagar), achou o preço exorbitante. Em decorrência disso, dias antes da viagem, após muita insistência da mesma, eu já havia feito um downgrade da categoria do carro, que inicialmente era um Fusion (categoria) para a de um Corolla.

Pois bem, chegando no estacionamento do hotel, para pegar a carona até a locadora, me deparo com o carro do Cadu que, por acaso, era um Cheverolet Traverse. Adoramos o carro.

Na locadora, perguntei quais carros, da categoria do Corolla estavam disponíveis e, para meu desespero, tinham apenas um Kia Soul. Um upgrade era obrigatório. Foi quando fiz a pergunta que mudaria nossa viagem:

"Do you happen to have a Chevrolet Traverse?"

E a resposta:

"As a matter of fact, we have one that has just been returned. They´re cleaning it now".

Por mais U$ 98.00, este foi o carro que locamos:

Não, ano errado. Ajustando o Capacitor de Fluxo...

Locamos, na verdade, esse avião, com motor 3.5 e 292 cavalos de potência:



Sim, eu sei: Brasileiro deslumbrado é uma m... :-)

Pegamos o GPS (cortesia) e partimos rumo ao Flórida Mall, quando nos deparamos com o sonho de qualquer criança no caminho (quando ainda existia Toys R Us):

Depois do Florida Mall e da obrigatória passagem na Apple Store, fomos ao Premium Oulet da Vineland, onde o shopping spree estava apenas começando:

A máquina de Coca-Cola mais chocante de todos os tempos (quero uma):

Restaurante da noite: T-Rex



No dia seguinte, o Magic Kingdom nos esperava.


Hora de voltar para nossa "casa" nos próximos dias:


Veja mais na:

Central NerdCore

  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Conheça também:

Sound Test

© 2015 "NERDCORE BRASIL"